Só preciso de dormir e respirar fundo



Tenho vindo a notar no último ano e meio que ando mais irritável, que um pequeno problema se torna para mim um motivo de stress e me faz ficar nervosa sem que houvesse grande necessidade disso. Além de algumas falhas de atenção que me fazem rever o trabalho mais vezes do que o normal.

Na análise que fiz à minha vida neste momento, encontrei duas razões para esta situação. A primeira, mais óbvia para todos, é a irregularidade dos sonos do Vasco que, com 20 meses, ainda não nos deixa descansar horas suficientes durante a noite. É certo que já notamos grandes melhorias nas últimas semanas, mas o nosso cérebro de recém pais ainda não se habituou a "desligar" mais do que 5 horas seguidas e estou constantemente a acordar durante a noite.

A privação de sono é para mim a grande responsável pela minha irritabilidade constante e preciso mesmo de evitar e contornar este estado. E digo isto porque sou extremamente indisciplinada, em vez de me deitar cedo para tentar descansar o suficiente, sabendo que tenho que acordar cedo ou durante a noite, não o faço. À noite, depois de deitar as crianças é o momento em que aproveito para os meus pequenos prazeres, ver televisão, fazer pesquisas online, ou até cuidar da minha pele com uma ou outra máscara. Além das noites em que tenho trabalho para fazer.

E esta é para mim a segunda razão, a minha indisciplina total. Eu já sei que vou ter uma noite curta e no entanto, tenho sempre algo para fazer antes de dormir. E é aqui que me vou focar para alterar. Podem pensar que é fácil, deitar cedo é fácil. Para mim não é nem nunca foi.
Só por curiosidade, nos tempos de faculdade tive que tirar a televisão do meu quarto porque eu simplesmente não adormecia, ficava a ver programa atrás de programa sem hora para terminar. Aí fiz um corte radical que se mantém até hoje, não existem televisões nos quartos. E mantenho a opinião de que o lugar delas não é neste espaço de descanso.

Já tive esta conversa cá em casa muitas vezes. E é neste ponto que eu preciso de me concentrar, em deitar-me mais cedo. Com isto, tenho a certeza que tudo o resto, toda a irritabilidade irá abrandar com mais horas de descanso.

Quem me conhece pessoalmente, sabe que não sou a pessoa mais calma e mais zen do mundo e que não vivo na serenidade de uma personalidade tranquila. E não se trata de mudar a minha personalidade, a minha maneira de ser, trata-se apenas de relativizar os problemas quando estes surgem à minha frente.

Tenho que me afastar e avaliar se aquele problema (ou não problema) vale o meu transtorno e o dos que estão à minha volta.

O mais grave para mim é que os meus filhos têm levado com alguns ralhetes e muitos deles eu devia ter evitado. E quando tomei consciência, pedi desculpa e expliquei o meu ponto de vista de uma forma mais serena.

São eles que me fazem querer estar melhor, por eles e por mim. A vida é demasiado curta para ser passada a ralhar e sem tolerância e a infância deles é ainda mais curta. Não quero que pensem na mãe como aquela pessoa que lhes diz sempre que não ou que levanta a voz por tudo e por nada. Quero que tenham a noção de que quando levanto a voz (se alguma vez for necessário) é porque é mesmo importante. Este efeito perde-se quando o fazemos a toda a hora.

E por mim, porque uma forma de estar na vida mais tranquila e mais serena é mais saudável. Não basta comer bem e fazer exercício, relativizar os problemas ajuda a manter uma mente sã.

Por isso, vou manter a alimentação equilibrada mais variada, o exercício físico que me tem ajudado muito no meu nível de energia e humor. E agora falta auto disciplinar-me a fazer horários mais compatíveis com a minha vida actual.

Quem está comigo nesta luta? Mais alguém tem o mesmo tipo de problema ou estou sozinha nisto?

Beijo

Comentários

Mensagens populares