Todos os anos pensamos: "Finalmente de férias"

Quando se fala em férias, sol e praia a minha mente transporta-me automaticamente para sul. São 35 anos consecutivos no litoral alentejano e Algarve e por mim, muitos mais virão.
Este último é sem dúvida o meu preferido e apenas por uma razão, sou peixinho de água morna. Sem desfazer das restantes praias do nosso país, que são lindíssimas. Umas mais naturais, outras nem tanto, e cada uma delas com a sua essência. Mas a temperatura destas águas mais a norte [e centro] não me são nada convidativas, desculpem.
No Algarve, desde a praia de Monte Clérigos, em Aljezur, à praia de Manta Rota, lá para os lados de Vila Real de Santo António, já corremos algumas vilas e cidades deste cantinho à beira mar. Passámos por Salema, Monte Clérigos, Alvor, Praia da Rocha, Vila Nova de Cacela, Cacela Velha, Quarteira, Altura e Manta Rota mas é próximo de Vilamoura que temos ficado nos últimos anos. Agrada aos gregos e aos troianos da minha família.

Desde sempre que passamos férias juntos, em família. Os meus pais sempre nos convidaram a mim e à minha irmã para lhes fazermos companhia nestes dias e nós sempre aceitámos. Quando o meu marido [ainda namorado] se juntou à família nada mudou a não ser o número de pratos à mesa. A família tem continuado a crescer, com o nascimento dos meus rapazes e nada mudou, a não ser o número de pratos à mesa e a quantidade de tralhas que transportamos nos carros durante a viagem.
E é assim que gostamos. Estamos o ano inteiro envolvidos com o trabalho, com as rotinas do dia a dia e falamos com os nossos pais 5 ou 10 minutos por dia. Almoçamos ou lanchamos juntos ao domingo e os dias e semanas passam até chegar a este momento. Ao momento em que as nossas férias em família servem para nos reencontrarmos, pôr as conversas em dia, repetir assuntos de anos anteriores, aproveitar as refeições longas em que tardamos à mesa. Em que os avós têm todo o tempo do mundo para as brincadeiras dos netos, para os ver crescer e participar em cada novidade.

São estas as nossas pessoas, as pessoas que amamos e que nos deram vida. E estes dias são ouro para nós. Todos.


Para quem esteja a pensar que férias em família possa ser uma confusão, não é necessariamente. Todos ajudam na hora das refeições e nas compras de supermercado, os banhos são divididos entre duas casas de banho. Temos uma máquina bem oleada porque nos conhecemos muito bem. Cada um mantém a sua própria rotina sem nos atropelarmos uns aos outros. E como temos a praia tão perto [5 minutos a pé] é possível cada um ir à hora que quer sem ter de esperar pelos outros 6. O lema nestas situações é mesmo descomplicar e largar a rigidez de horários.

Até agora os meus filhos não conhecem outra praia senão esta onde temos ficado desde que o Vicente nasceu mas gostava muito de mostrar outras praias aos meus filhos, e claro que o vou fazer. Existem muitos lugares no nosso país que não devem deixar de ser visitados, e não só as praias obviamente. Mas tudo a seu tempo.

Beijo

Comentários

Mensagens populares