Um bocadinho de energia

Depois do nascimento do Vasco, há 16 meses atrás, não me senti logo pressionada para voltar à minha forma pré gravidez, até porque após o parto perdi grande parte do peso que ganhei durante a gravidez. Óbvio não é? Sim, mas refiro isto porque cada mulher é diferente da outra e cada corpo reage de maneira diferente às mesmas situações.
Durante a gravidez ganhamos peso devido a vários factores, o crescimento do bebé, o líquido amniótico e até o próprio útero aumenta de tamanho e peso. Também ganhamos peso peso porque temos mais fome e inevitavelmente, comemos mais! Pelo menos comigo é o que acontece, mesmo com a consciência de que não estamos a "comer por dois". Além de tudo isto, o corpo da mulher grávida tem tendência para fazer mais retenção de líquidos do que no seu estado normal, influenciando os números da balança.
No meu caso, no dia após o nascimento dos meus bebés [o primeiro há quase 5 anos e outro há 16 meses] eu tinha apenas 5 quilos para perder, dos 16 ganhos em cada gravidez. Porque o meu corpo eliminou quase todo o peso que estava a mais de um dia para o outro, porque é assim. Tenho amigas que aconteceu o mesmo, e tenho outras amigas que isto demorou algumas semanas. Como disse antes, cada corpo reage de maneiras diferente.
Durante os primeiros meses de amamentação também não me preocupei muito em manter a forma, em parte porque andava bastante cansada por voltar a dormir pouco e por outro lado, porque a amamentação ajuda a perder bastantes calorias. Mas a verdade é que nesta fase sentia sempre tanta fome que não perdi peso nenhum.

Entretanto comecei a sentir-me mais cansada no dia a dia, sem vontade de fazer qualquer tipo de exercício, e até mais irritada. Porque me conheço, percebi perfeitamente o que se passava comigo. Precisava de me mexer, de fazer exercício.
Já fiz exercício antes, quando não tinha filhos para cuidar nem tanta preguiça! Ainda tentei voltar ao ginásio depois do nascimento do Vicente, mas sem o papá em casa durante a semana, ficava difícil arranjar tempo para mim. Os fins de semana eram simplesmente para aproveitar os nossos momentos a três. E o tempo passa num ápice e o exercício ficou para trás.
Assim, no início deste ano achei que estava na altura de deixar a preguiça para trás e ser mais activa, libertar umas quantas endorfinas para me animar e dar energia, já que ainda andamos a lutar com a privação de sono, oferecida generosamente pelo meu filho mais novo [querido Vasco, amo-te muito! Mas deixa-me dormir, por favor...].

Não tenho como principal objectivo a perda de peso, não sigo nenhum regime alimentar específico mas aposto na variedade e acho que tenho bons hábitos alimentares [na mioria dos dias], tendo isso a meu favor. Mas precisava de me mexer, de voltar a ter energia e, não menos importante, de aproveitar um tempinho só para mim. 
O único exercício que me lembrei foi corrida. Apesar de ser o desporto escolhido por quem quer perder peso, e eu querer apenas manter, é um dos menos dispendiosos por não obrigar ao pagamento de uma mensalidade num ginásio, dá para fazer a qualquer hora do dia e a qualquer dia da semana. Tem ainda a vantagem de ser feito ao ar livre, o que para mim é o ideal.
Comecei em Janeiro com uns estafados 7 ou 8 minutos e agora consigo correr cerca de 30 minutos. Não é muito, mas para mim está óptimo. O que interessa é que comecei e não tenho vontade de desistir. Vou tentar melhorar porque já noto uma grande diferença no meu estado de espírito, apetece-me sempre sair para correr e já não me sinto tão cansada diariamente. Não me sinto tão irritada. Depois da corrida faço sempre umas séries de agachamentos, prancha, flexões e outros exercícios que me ajudem a tonificar e aumentar a massa muscular. Na verdade, em relação ao meu corpo é esta a minha luta, tonificar e manter um bom nível de massa muscular. 


E vocês o que fazem pela vossa saúde?
Têm dicas para me dar? Aceitam-se sugestões!

Beijo

Comentários

Mensagens populares