Timidez permanente ou passageira?

Há cerca de 6 meses deixámos, finalmente, a preguiça para trás e lá fomos tratar de arranjar uma actividade extra para o Vicente. Para nós, a escolha foi muito óbvia e sempre esteve no primeiro lugar da nossa lista. Inscrevemos o Vicente na natação. Está a caminho dos 5 anos e este é um desporto tão completo e com tantas vantagens que só podia ser a nossa primeira escolha. Ele tem ginástica e dança na escolinha, durante a semana, e adora. É uma criança que tem imensa facilidade de movimentos, desde bebé que se aventura a testar os seus limites, e a mãe deixa. À distância de um abraço e um beijinho, quando a coisa não corre assim tão bem.

Na natação, não é verdadeiramente a primeira vez. Quando era bebé íamos todos os fins de semana para a piscina municipal fazer exercícios durante uma hora. Eram momentos de brincadeira entre os três em que aproveitávamos para fazer a ambientação ao meio aquático. Ele adorava e já não tinha medo da piscina. Fizemos esta actividade entre o seu primeiro e segundo ano de vida, mas depois o ano lectivo acabou e as piscinas encerraram para férias. Nós também fomos de férias e a natação nunca mais voltou. Os fins de semana passam a correr e eu trabalho muitas vezes nesses dias, por isso, gerir estas 48 horas da melhor forma nem sempre é fácil.

Agora era o momento ideal para regressar. E considero que é muito positivo para ele fazer algum exercício extra que ajude a criar um bom hábito futuro. Além disso, o Vicente estava muito curioso com a ideia da piscina ser "dentro de casa". 
Finalmente abriu uma vaga e eis que chega o primeiro dia. Lá foi o Vicente empolgado com a sua curiosidade, durante a mini viagem de carro. Mas este dia não foi nada fácil para ele, quando chegámos aos balneários e começou a chorar, disse que afinal tinha medo. Eu continuei a trocar-lhe a roupa e explicar que eu estaria sempre por perto, durante a aula. Está assim, numa fase em que sente tanta vergonha que bloqueia e começa a chorar. Tentei acalmá-lo e dizer que não havia razão para ter medo, que quando era bebé adorava brincar nesta piscina. Estivemos ainda algum tempo a observar a aula anterior, que ainda não tinha terminado, e ele já se mostrou mais calmo e atento ao que se estava a passar lá dentro.
Quando a nadadora-salvadora o levou para entrar pela porta correta, chegou à piscina a chorar, mas em pranto, à séria. Engoli em seco e fiquei a observar na sala de espera, a tentar perceber se tinha que o levar para casa sem aula nenhuma.
Mas não, a professora pegou nele e com todo o carinho, fez uma parte da aula com ele ao colo e pela mão. O Vicente começou a ambientar-se e a divertir-se e até saltou da beira da piscina para dentro de água...! Não falou com nenhuma das crianças da turminha dele, de tão tímido, mas pelo menos conseguiu fazer todos os exercícios sem desatar a chorar outra vez. Afinal adorou a natação. Disse-me no balneário que eu tinha razão [meu amor]. Vamos voltar todos os fins de semana.



Preocupa-me esta timidez, esta vergonha que ele tem. Eu sei que dura apenas um momento, e que quando se sente confortável nem parece a mesma criança. Mas esse "momento" já chegou a durar mais de uma hora em certas ocasiões. Acredito que se trata apenas de uma fase.
Torna-se difícil tentar gerir, ajudar a gerir, os sentimentos de uma criança, se é que se podem gerir. Ele sente-se inseguro de alguma maneira quando chega a um local que desconhece. Mesmo que conheça as pessoas que estão presentes.

A minha postura até agora tem sido de lhe dar um abraço apertado ao mesmo tempo que lhe explico que é normal ter vergonha mas que deve respirar fundo, acalmar e tentar ir brincar, mesmo que ao início não queira falar com ninguém. Tem resultado até agora e ele fica mais calmo.

E desse lado também há crianças tímidas? Como lidam com a situação?

Beijo

Comentários

  1. Olá Rita o meu Guigo também é assim.. Este ano tivemos i episódio do futebol que ele adora e queria jogar... Levámo-lo a um treino e quando la chegou desatou a chorar num pranto que parecia que estava lá Obrigado :( os treinadores foram um espetáculo acalmaram-no e adorou o treino e fez todos os exercícios como se ja andasse lá à meses... Os treinadores disseram que tinha jeito e que devia continuar... Ele estava mega entusiasmado voltamos para o 2 treino e quando chegou desatou a chorar que queria que eu fosse para o campo e desta vez nem com a força atenção r paciência dos treinadores quis fazer o treino... Decidimos voltar so em Setembro quando ja tem quase 5 anos... Mas esta vergonha e estas atitudes de choro são para mim dificeis dr perceber e gerir porque connosco está tudo bem e pede para ir e fazer e quando chega a hora acontece isto... Também espero que seja uma fase.. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana!
      Tenho que te pedir desculpa pela falta de resposta, mas a verdade é que estive até agora sem receber notificações de comentários e por isso pensava que ninguém lia as minhas publicações, quanto mais comentar!

      Que pena ser assim... Torna-se tão difícil para eles ultrapassar aquela barreira que nós nem sabemos como agir.
      Como está agora o Guigo? Atenuou a sua timidez e já conseguiu fazer mais treinos?

      Beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares